Nos últimos anos, têm-se registado diversas inovações e novas tecnologias na área do pacing cardíaco. Um deles é o pacing sem fios, “um avanço absolutamente extraordinário”, que pode beneficiar, principalmente, doentes graves ou com doenças associadas. Ao Dr. Pedro Silva Cunha foi atribuída a responsabilidade de abordar este tema durante a Reunião Arritmias 2019, apresentando as mais-valias e as limitações que ainda existem, numa tecnologia que, “hoje em dia, não pode ainda ser aplicada a todos os doentes”. Assista ao vídeo da entrevista nos artigos do Media.